Big Data – Análise e gestão de dados

Startup – O que é? Como funciona?
11 de outubro de 2018
Business Intelligence (BI) – O que é?
18 de dezembro de 2018
  Hoje, muito se fala sobre Big Data, nós mesmo já fizemos alguns posts aqui no blog abordando a sua importância e como aproveitar de maneira inteligente cada uma das informações adquiridas.
  Atualmente muitos empreendedores já perceberam o quanto os dados são importantes para o desenvolvimento e crescimento da sua empresa. Porém, para se ter um Business Intelligence efetivo é necessário aproveitar bem todos os dados captados, entender como o Big Data funciona e quais são os tipos de informações disponíveis, para que assim você possa analisa-las e aproveitá-las da melhor forma possível.

como aproveitar os dados

  Quando falamos de Big Data já vem à nossa mente àquela enorme quantidade de dados que precisam ser coletados, armazenados, organizados e analisados, e muitas vezes não sabemos nem por onde começar.
Por isso, agora vamos te ajudar a entender melhor cada um desses passos.

1 – Coleta de Dados

  O primeiro passo para se ter sucesso com o Big Data é a coleta de dados, como e onde você irá captá-los. Hoje com o advento da tecnologia as possibilidades e meios para se captar e analisar dados são incontáveis, facilitando de forma significativa todo o processo.
– Cadastros: Esse é um dos meios mais comuns de se conseguir dados, muitas marcas e lojas aproveitam o momento da finalização de uma compra para fazer um cadastro do cliente, tanto no meio físico quanto no online.
Descontos e Sorteios: No meio empreendedor uma das táticas mais utilizadas é a de “dar e receber”, ou seja, as marcas oferecem benefícios em troca das informações do consumidor.  Uma boa forma de fazer isso é oferecendo descontos para o cliente na hora da comprar, em troca do seu CPF, telefone e a fins. Essa é uma tática muito utilizada em supermercados por exemplo.
– Clube de Vantagens: Um exemplo bem comum é oferecer vantagens para o público, algumas marcas optam, por exemplo, em investir nos clubes de vantagens, onde seus clientes se cadastram e ganham descontos, brindes, dentre outros benefícios, essa é uma excelente técnica para captar dados e ainda garantir a fidelização do seu consumidor, que ficará feliz em fazer “parte da empresa”.
– Redes Sociais: O meio virtual é hoje um dos melhores lugares pra se adquirir dados, o próprio cadastro nas redes é uma forma de se ter informações dos consumidores, além dos conteúdos postados, acesso em jogos, pop-up, login através do facebook ou google, pesquisas veiculadas nas redes, essa são algumas das muitas opções disponíveis para a obtenção de informações.
– Conteúdo: Essa é uma das práticas mais comuns no meio virtual, e se dá quando você oferece para o seu consumidor um conteúdo de qualidade e interessante para que ele possa estudar e aperfeiçoar a sua técnica em troca do cadastro através do e-mail ou outra rede. Uma boa forma de se conseguir isso é por meio de E-books, conteúdos adicionais ao seu site, Podcast, vídeos e afins, lembrando sempre de oferecer benéficos reais e de qualidade.
– Wifi: Alguns shoppings e lojas, por exemplo, adotam a tática de oferecer WIFI gratuito em troca de um pequeno cadastro, com nome, e-mail etc…
– App: Os aplicativos são um meio bem simples também de se obter dados, mediante ao cadastro pelas redes sociais, como facebook ou e-mail, a compra de conteúdos personalizados dentro do app, pop-up de aceitação com termos de acesso as suas fotos, músicas, áudios e até mesmo da sua localização.
  Essas são algumas das muitas formas de se captar dados do seu público, além de serem as mais utilizadas atualmente. Lembrando que é sempre bom motivar o seu cliente para que ele disponibilize mais dados, seja com descontos, brindes ou experiencia, é importante oferecer algum benefício para ele.

2 – Armazenamento de Dados

  O armazenamento equivale na distribuição dos dados em sistemas e servidores diferentes, o que garante que para cada informação armazenada exista um backup disponível, que irá variar conforme o formato desses dados, sendo necessário um espaço físico ou uma nuvem.

Qual a importância dos dados

 

– Nuvens: Uma boa opção para o armazenamento dos dados são as nuvens, pois é um método que permite que diversos servidores e aplicativos acessem os dados guardados ali por meio de sistemas de arquivos compartilhados.
   Hoje existem diversas plataformas que fornecem esse tipo de funcionalidade, como o Google Drive, um serviço disponibilizado pelo Google, One Drive disponibilizado pela Microsoft, a AWS da Amazon, esse são alguns exemplos de qualidade e fácil acesso.

3 – Organização

  Essa parte é muito importante para se obter uma análise de qualidade. Sendo necessário escolher como você irá segmentar os seus dados, para isso é importante saber quais são os formatos de dados adquiridos pela sua empresa.
  Você pode optar por separa-los em categorias, como: estruturados e não estruturados, por e-mail, idade, localização, gosto musicais e afins, alinhando as suas informações com o seu objetivo.

quais são os tipos de dados

  Hoje existe um número enorme de dados para serem analisados diariamente, por isso é importante qual a origem desses dados e quais  possuem grande disponibilidade de acesso, além de quais são os mais importantes para o seu negócio.
– Social Data: Nele estão incluídos os dados obtidos por meio de interações nas redes sociais, ou seja, informações que indicam o comportamento do público e que são muito úteis para auxiliar o marketing, suporte e vendas da sua empresa.
Personal Data: São os dados mais recentes, gerados por dispositivos conectados à sua rede de TI. Eles podem ser colhidos por meio de geladeiras, televisões, carros, celulares e outros aparelhos que estejam conectados à internet.
– Enterprise Data: São todos os dados gerados por uma empresa, nos setores, financeiro, recursos humanos, operações gerais e afins. Esses são dados atribuídos sobre o funcionamento de diversas áreas dentro de uma empresa.

Divisão dos dados – estruturados e desestruturados

  Essa é a principal divisão na organização dos dados, sendo um dos principais passos para uma análise eficaz, pois facilita o acesso e a localização das suas informações.

dados-estruturados-não-estruturados

– Estruturados: São todos os dados que possuem uma estrutura pré-definida, como localização, curtidas, contatos, vendas etc.. São aqueles que podem ser analisados apenas pelos algoritmos, geralmente aparecem em números e padrões.
Desestruturados: São aqueles mais complexos, pois não possuem uma estruturação, sendo necessária uma análise humana. Esses dados geralmente aparecem em forma de vídeo, fotos e comentários, meios que geralmente demandam uma análise “emocional”.

4 – Análise de dados

  Agora, pra finalizar todo esse processo é necessário extrair e interpretar cada um dos dados captados e organizados. Sua análise será feita com base em conceitos de negócios e estratégias de forma a auxiliar na tomada de decisões.
Estatística Básica: Para começar a analisar seus dados é necessário ter um conhecimento prévio sobre estatística e parâmetros, eles vão te ajudar a compreender e interpretar melhor o que foi colhido. Esse é o “pontapé” inicial para se ter uma análise de qualidade e de fácil entendimento, que irá auxiliar na hora de tomar uma decisão.
– Conclusão: Após criar e montar todas as planilhas e estatísticas é muito importante a elaboração de um relatório com o resumo de tudo que foi possível determinar através dos dados. Quais foram as conclusões retiradas o processo, para que assim você possa tomar as melhores decisões possíveis para o seu negócio.
  Agora que você já compreende melhor como funciona todo o processo, fica mais fácil entender por onde começar e desenvolver um trabalho produtivo com o Big Data.

texto escrito por tayná karine

 

Ajuda? Chat via WhatsApp